8º Mês – Preparando a casa para nova etapa

outubro 22, 2018

Alguém começa a tentar engatinhar, a ir atrás de objetos, a dar piscadinhas, que sou apaixonado quando ela faz. Nosso bebê esta crescendo…

Como foi que passou e eu nem se quer percebi que ela já está com os pés para fora do trocador? De onde veio esse crescimento? Não se com os outros pais e outras mães, mas para mim, parece que foi de uma hora para outra que minha filha esticou, já começa a ter vontade, e entender um não, a fazer bico porque não tem o que quer.

Eu ri muito um dia que estava com ela no colo, ela querendo algum brinquedo e eu sem entender o que ela queria, e ela insistindo, como se estivesse mostrando tão claramente o que ela queria, e eu, muito burro sem entender uma coisa tão lógica quanto o que ela estava mostrando querer.

Começamos a mudar e a proteger mais algumas coisas como tomadas, quinas, janelas, telas no apartamento, não deixar nada de cortar ou fácil dela engolir pela casa ou ao alcance dela. Verificar os disjuntores da casa se estão com a proteção necessária para em um acidente, já disparar e desligar, prender móveis pesados na parede, cozinha, tampa de vaso sanitário, enfim, checkout geral na casa, porque sue bebê está crescendo e cuidados devem ser tomados.

A minha filha tem o meu temperamento, minha esposa ama isso, para não dizer o contrário. Ela vai atrás do que quer, se acha a independente, se não consegue o que quer, já fecha a cara e fica lá tentando até conseguir, seja isso abrir algum brinquedo ou só pegar alguma coisa que está distante dela.

Engatinhar era um espetáculo a parte, o esforço dela em conseguir era muito engraçado, mesmo ela fechando a cara porque não estava conseguindo ir tão rápido quanto ela queria. Eu colocava objetos para ela ir pegando, um após o outro, e ficava nessa brincadeira com ela.

Uma vez me distrai em colocar outro objeto mais a frente, e  percebi uma coisa linda, no lugar dela esperar outro objeto, ela deitou no meu colo, até coloquei outro objeto na frente, mas o que ela queria mesmo era ficar ali ao lado, ficar perto, juntinho. Para ela, não precisava de mais nada, e para mim, eu já estava tendo muito mais do que poderia imaginar. Um gesto tão simples quanto colocar a cabeça no colo e se acalmar, tudo que minha filha queria naquele momento era carinho… Até bater a fome e reclamar!

Nunca fui de exaltar as coisas que minha filha faz para ninguém, como vocês já devem ter lido antes, eu detesto comparações, seja qual tipo for, cada criança tem seu tempo, não vá na onda de ninguém que fica fazendo muita propaganda do filho,  nunca vai existir alguém tão especial ou tão inteligente quanto seu filho, vão aparecer crianças com o desenvolvimento em estágios mais avançados que seu filho, outros mais atrasados, no lugar de comparar, veja o que fez ele desenvolver mais ou menos, analise, entenda seu filho, observe, e se notar alguma coisa estranha, procure ajuda. Mas procure ajuda profissional.

E fique sempre de olho no seu bebê, nossa filha tinha o umbigo para fora, a famosa hérnia. A médica disse que até os dois anos poderia regredir, caso contrário seria necessário cirurgia. Nessa época várias receitas vieram para resolver, tomei a decisão de seguir o que o pediatra falasse, ou confio na médica da minha filha, ou nem preciso levar, já que todo mundo de médico e louco tem um pouco.

Combine com sua esposa qual caminho vai tomar, a quem realmente vai ouvir, assim você evita atrito quando chegar o momento, e já fica claro para todo mundo que a decisão já foi tomada. Não adianta discutir, é isso e pronto.

E se prepare, que se tomar alguma decisão errada, muita gente vai vir falar… “mas não disse para seguir isso ou aquilo.“ Eu prefiro arcar por uma decisão minha, do que ter problema por seguir o que os outros dizem. Meu temperamento, minhas decisões, sendo assim, as consequências eu que tenho que arcar também. Ai cada um veja o que acha melhor para seu lar, para sua família, para seu bebê, uma coisa que percebi é que, quanto mais ajuda se pede, mas interferência se tem na educação e no cuidado com os filhos, cabe a você achar o meio termo ai.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *