9º Mês – Quando a criança começa a entender o que pode e o que não pode?

novembro 14, 2018

Sempre acreditei que a criança já nascia sabendo seus limites, mas realmente só fui notar melhor isso depois do oitavo mês de vida da minha filha. Não mudei muito minha opinião quanto ao saber desde o nascimento a questão do certo ou errado. 

O certo ou errado agora estava tomando forma no rosto, atitudes e vontades. A minha filha mesmo na amamentação já sabia pelo instinto que a mãe estava perto, que o leite dela estava ali naquele seio da mãe, que no choro alguém viria socorrer, mas agora era diferente. Ela começava a entender meu tom de voz, ela virava rapidinho quando falava no nome dela.

A forma como falava, se fosse carinhosa ela já sorria, se fosse mais sério ela já ia franzindo a testa, e ali fui vendo a necessidade de colocar alguns limites no meu bebê. Sei que muitos pais gostam de deixar o filho ou filha nessa idade fazerem o que desejarem, seja para ajudar o desenvolvimento, ou outra razão qualquer. Não vejo dessa forma, escolhi trabalhar o desenvolvimento da minha filha mas com limites. Ela continuava brincando com tudo, mas nessa época ela começou a entender que… Naquela parte da casa, ela não deveria ir, no objeto perto da tv, não ela para colocar a mão.

É muito bonito ver seu filho crescendo, eu só não queria deixa-la crescendo sem controle, sem limites. Combinei com minha esposa que nosso não seria não e ponto final, assim como o sim, os dois com o mesmo peso. Se dissesse a minha filha que ela poderia fazer alguma coisa, estava resolvido, ela poderia ir e fazer, mas se fosse um não, também seria a mesma reação. Nada de muito alarde, muito menos grito, seja pelo sim ou pelo não.

Até hoje, ela esta com 1 e 8 meses, precisei falar alto com ela, se vou reclamar alguma coisa, chamo, explico e esta resolvido, se for para deixar, da mesma forma, chamo, explico e pode ir fazer.

A duas semanas aconteceu um fato bem interessante, fui tomar banho e ela chegou no box do banheiro e ficou lá falando comigo, ou tentando falar. Sentou e ficou lá esperando eu tomar meu banho. Afastei o chuveiro, abri o box, ela lá de roupa, admirada olhando para mim, e disse, vem filha, pode entrar, com roupa e tudo.

A alegria dela foi imensa, em saber que esta fazendo alguma coisa que não é o normal, mas que estava louca para fazer, entrar de roupa e tudo no chuveiro e tomar um banho com o pai dela. O mais bonito para mim, não só a alegria dela em tomar o banho, mas foi o comportamento dela, em não tentar entrar até eu falar para ela que poderia, até falar o SIM para ela.

Espero manter minha palavra para ela, sendo sim SIM e não NÃO, e que ela continue recebendo os dois da mesma forma, entendendo que é para o bem dela.

Se ela vai continuar assim com o passar do tempo? Não sei, não tenho como prever o futuro, mas sei que posso trabalhar no presente e esperar o futuro, tudo pode mudar, mas ao menos terei a certeza que ensinei a minha filha os limites, sei que no coraçãozinho dela, vai ser saber que pode ou não pode, o que é certo e o que é errado, se vai seguir isso, só o futuro para mostrar, e eu irei relatar aqui com o passar do tempo.

No meu pequeno entender, o filho está para ser educado pelos pais, e não para o filho educar os pais a vida deles. Eles observam tudo, seu comportamento em casa, seu comportamento fora, testam exaustivamente seu limite de paciência e de atenção, conseguem de uma maneira brilhante brincar com o pai e a mãe e ver quem dos dois vai ceder mais fácil, vai fazer seus desejos e suas vontades.

Bobo sou eu pai babão que por muitas vezes achei que minha filha era muito inocente para fazer isso ou aquilo, até você colocar alguns limites e você vê aquele ser, tamanho de nada, olhar para você e ir fazer exatamente o que você falou para não fazer e ver sua reação.

Criança testa sim, o limite? Ai cada pai sabe o seu, mais uma vez, não acredito em receita para cuidar de filho, acredito ter princípios, mas receita não, cada criança é um mundo, onde os pais mais que ninguém sabem que mundo é esse o que habita esse mundinho mágico, divertido e único.

Aprendo a cada mês que se passa a lidar com minha filha, e tentar passar para ela que mesmo nos limites eu a amo, e desejo sempre o melhor para ela. Errar? Ixe, sei que vou errar e muito, mas não quero cometer o erro de por questões de facilidade, abrir mão e deixar a minha filha fazer o que quiser, com a desculpa de… Elá é tão novinha, não tem ideia do que está fazendo! 

TEM sim, olhe , preste atenção, cuide e conviva que você também vai ver que ela, mesmo pequena, tem as vontades, desejos, birras, carências, amores, carinhos que todo adulto tem, algumas vezes com filtros, e em outros casos com intensidades condizentes a idade dela, mas, está tudo ali, é só parar e observar.

Aprendizado dos 9 meses? Sim é um ser com vontade e desejos, e tenho que aprender a lidar com isso e tratar isso da melhor maneira que eu conseguir, amando, cuidando e protegendo sem esquecer que menos tão pequena ela já tem as preferências dela.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *